Início Notícias "Inteligência Artificial": TECPAR e APCBRH juntos no Projeto GALAXIS para cadeia produtiva do leite
"Inteligência Artificial": TECPAR e APCBRH juntos no Projeto GALAXIS para cadeia produtiva do leite PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrador   
Qua, 15 de Julho de 2009 16:01

Projeto inovador alia conhecimento prático humano e tecnologia

 

O Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR) e a Associação Paranaense dos Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (APCBRH) firmam parceria para desenvolvimento do "Sistema Inteligente na Cadeia Produtiva do Leite - Projeto GALAXIS", durante evento técnico da cadeia produtiva do leite, dia 26 de maio, em Curitiba. O projeto consiste do desenvolvimento de um software para leitura dos resultados das análises de controle do leite, capaz de elaborar um diagnóstico da situação por animal ou de todo o rebanho, com vistas a instruir o produtor rural e apontar correções no manejo e boas práticas na produção leiteira, explicou a doutora pesquisadora do TECPAR e uma das responsáveis pela elaboração do projeto, Roberta Züge.

 

Segundo ela, inicialmente, o prazo para desenvolvimento do Sistema GALAXIS é de dois anos e a expectativa é que neste período seja finalizada a primeira versão e o software será implementado pela APCBRH. "Porém, depois de concluído o GALAXIS ficará disponível para todos os laboratórios do país que fazem parte da RBQL", destacou Züge. A APCBRH abriga o laboratório do Programa de Análise de Rebanhos Leiteiros do Paraná (PARLPR), da Rede Brasileira de Qualidade do Leite (RBQL), para atender a IN51/2002.

 

O TECPAR e a APCBRH irão assinar o convênio de cooperação para desenvolvimento do Sistema GALAXIS na abertura do Seminário Produção Integrada de leite: certificação de lácteos, que acontece dias 26 e 27 de  maio, no auditório do TECPAR, em Curitiba. O projeto foi aprovado em janeiro deste ano e será financiado parcialmente pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com recursos da ordem de R$ 200 mil.

 

De acordo com o engenheiro do TECPAR, da Divisão de Inteligência Artificial (DIA), e responsável pelo desenvolvimento do projeto juntamente com a pesquisadora Züge, Milton Pires Ramos, o TECPAR e a APCBRH irão complementar os recursos de R$ 200 mil disponibilizados pelo CNPq. "Muito provavelmente não vamos exaurir o tema neste período de dois anos", destacou Ramos, que acrescentou ter sido o Sistema GALAXIS pensado a partir de demandas dos próprios produtores.

 

Projeto GALAXIS visa toda a cadeia produtiva

 

A intenção é que o sistema de software possa atender desde o pequeno até o grande produtor de leite, independente do porte ou tamanho da produção, e a idéia é que inicialmente o sistema funcione gerando relatórios que serão elaborados de acordo com o perfil do produtor e em linguagem adequada, segundo a pesquisadora do TECPAR, Züge.

 

"Um pequeno produtor, por exemplo, ainda sem tradição de acompanhamento do leite e sem hábito na utilização de tecnologia da Informação e Web, poderá receber o relatório de análise impresso, encaminhado por um técnico (extensionista), cooperativa ou laticínio, em vocabulário apropriado, com a indicação precisa de diagnósticos, justificativas e instruções para tratamento adequado, correção de desvios ou indicações de melhorias nos seus processos de produção e/ou manejo", destacou Züge.

 

As técnicas de "Inteligência Artificial"

 

A produção de leite no Brasil é elevada em termos de volume, porém, na média brasileira, tem baixa produtividade por animal e qualidade do produto. De acordo com a Züge, esse quadro é consequência de vários fatores, como a utilização de animais não especializados para a atividade, a falta de conhecimento dos produtores e colaboradores sobre como garantir qualidade do produto, correto manejo nutricional, sanitário, reprodutivo e bem estar animal.

 

"Por se tratar de um problema que envolve conhecimentos e práticas muito específicos, existem poucos especialistas atualmente aptos a realizar tal análise e tomar as decisões necessárias para o efetivo controle e manejo do gado leiteiro e, consequentemente, muitos produtores têm informações sobre seu rebanho e produção, mas não têm a capacidade de análise crítica destes dados e nem a capacidade de concluir a conduta a ser tomada para corrigir os desvios encontrados", acrescentou Züge.

 

E segundo ela, dessa forma, a solução dos problemas de análise crítica de dados da produção dependem da experiência prática de um especialista humano - "uma indicação clara do potencial da Inteligência Artificial para preservar e distribuir este conhecimento estratégico caro e difícil de formar" conclui Ramos.  Dentre diversas técnicas, neste caso serão utilizadas ferramentas de Engenharia do Conhecimento para a construção de um Sistema Especialista.

 

"Sistemas especialistas são sistemas computacionais desenvolvidos a partir de técnicas de "Inteligência Artificial", orientados para a solução de problemas complexos em domínios muito específicos. Estes sistemas são construídos com base no conhecimento adquirido de um ou mais especialistas humanos, apresentando o mesmo desempenho destes especialistas na solução de problemas", afirmou Ramos.

 

DATA DE PUBLICAÇÃO:  20/05/2009

FONTE:  Engormix.com

Última atualização em Seg, 27 de Julho de 2009 13:42
 


Another articles:

Powered By relatedArticle

CeresQualidade.com.br | Powered by Joomla!